sexta-feira, 22 de maio de 2015

Santa Úrsula - 20 de maio - primeiro dia da novena

     1º Dia da Novena - 20.05.2015 – Oração sacerdotal do Senho
      (Jo 17,11b-19) – ler o Evangelho da Bíblia

1.  "Já não estou no mundo, mas eles estão ainda no mundo; eu, porém, vou para junto de Ti.  Pai Santo, guarda-os em Teu nome, que me entregaste de fazer conhecer, a fim de que sejam um como nós" (Jo 17, 11).  Jesus, em Seu corpo mortal, já não permanecerá mais conosco neste mundo, no entanto, não deixará de cuidar de nós.  Será o nosso Intercessor, apresentará ao Pai celeste as nossas necessidades.  Não precisamos temer, porque - embora não O vemos com os olhos do corpo - Ele, sentado à direita do Pai, pede por nós.  Ele permanece conosco no Sacratíssimo Sacramento do Altar, para vigiar sobre o mundo dia e noite.  Como é bom o nosso Senhor e nosso Deus que tanto cuida de nós!


 Que coisa pede Jesus no início de sua oração sacerdotal, após ter instituído o Sacramento do amor?  Ele pede que nós sejamos um, assim como Ele é um com o Seu Pai, para que entre nós reine a concórdia e o amor.  Como esta saudosa oração de Jesus deveria me comover e como eu deveria me esforçar para que se realizasse este desejo do Senhor!

Quero refletir somente isso: Jesus instituiu o Sacramento do Amor, o Sacramento que é para mim a fonte de felicidade, de alegria e de paz.  Somente algumas horas separam Jesus da terrível paixão, o Seu Coração transborda com mais terno amor para com aqueles, pelos os quais Ele irá se sacrificar imensamente.  E neste momento, sai do Seu Coração Divino a oração que expressa o mais ardente desejo de Jesus, isto é, para que sejamos um, para que entre nós reine o amor e a concórdia.  Será que eu tenho o coração tão duro que não vai me comover este pedido de Jesus?  Não nascerá em meu coração este desejo ardente: - Jesus, eu quero consolar o Teu Coração, quero fazer tudo o que está ao meu alcance para que reinem entre nós o amor, a concórdia, para que sejamos um, como Tu e o Pai sois um. 

Eu quero, mas devo pensar do que eu necessito mais para que eu seja (...) o instrumento de união e o anjo da paz.  Em primeiro lugar, devo procurar ceder sempre; devo levar a sério este conselho (...): "antes cumprir a vontade dos outros do que a própria", compreende-se - quando não se trata de um verdadeiro dever.  Toda discórdia nasce justamente disso que há diversos pontos de vista e aspirações.  Mas estes diferentes gostos, ainda que de duas pessoas, não provocarão discórdia se uma delas, de boa vontade e com amor, quiser ceder e sujeitar-se à vontade da outra.  Deste modo a discórdia seria afastada.  Eu me preocupo em sujeitar a minha vontade à vontade dos outros, antes cumprir a vontade deles, do que a minha?  A desavença nasce também da ambição, que inveja a boa sorte do outro, confiança dos superiores, encargo mais alto, etc.  E daí surge a antipatia em relação àquele e busca oportunidades para iniciar a discussão, a briga, para importuná-lo quando puder, como puder.  A discórdia surge também quando as pessoas se ofendem facilmente.  Há almas que se ofendem por qualquer coisa; uma palavra imprudente, uma chamada de atenção e já se ofendem, e aquele que as ofendeu sem querer já não o querem conhecer, falam mal dele e procuram ocasiões para discussões - e já não há concórdia. 

Agora devo perguntar-me: e eu não sou motivo de discórdia?  Oh, se eu lembrasse disso, que esse doce Coração de Jesus deseja tanto de nos ver unidos em amor e concórdia, se eu lembrasse que este Jesus na Hóstia branca, pede ao Pai celeste que sejamos um, e que é isso o que Ele mais quer, será que eu seria capaz de causar sem misericórdia novas feridas a este Coração de Jesus, ignorando seus desejos, não querendo satisfazer os Seus desejos?  Ó Bom Jesus, (...)entrego-Te este propósito firme: querendo alegrar o teu Divino Coração, farei tudo para viver em paz com os outros, construir a concórdia e unidade, ser o anjo da paz lá onde por vontade de Deus eu estiver; quero ser o anjo da paz.  E Tu, ó Coração Divino, abençoa-me, ajuda-me e escuta este pedido ardente: Coração de Jesus, união de todos os corações, congrega-nos todos no Teu santo amor.  Amém.
(Med.VI-31)

Para refletir:

1.      Qual é a minha reação quando me encontro no meio, onde há falta de união e concórdia?
2.      Qual é a minha colaboração para que haja a união no ambiente onde eu vivo ou trabalho?
3.      Jesus leva ao Pai o pedido pelos seus. E eu, como é a minha oração pelas pessoas com as quais convivo ou pelas quais sou responsável?


Oração da Confiança ao Coração de Jesus pela intercessão de Santa Úrsula.

Ó Jesus, ao vosso Coração recomendamos este pedido (...). Olhai para ele.
Fazei o que o vosso Coração mandar. Permiti agir o vosso Coração.
O Jesus, conto convosco, confio em Vós e a Vós me entrego.
Ó Coração repleto de amor, toda a minha confiança ponho em Vós,
pois eu sozinho(a) sou capaz de todo mal, mas tudo espero de vossa bondade e amor.

Pelos merecimentos de nosso Senhor Jesus Cristo, aceitai, ó Deus
as orações levadas a Vós pela intercessão de Santa Úrsula,
a imitadora fiel das virtudes do Sagrado Coração de Vosso Filho,
e concedei-nos a graça que confiantes vos pedimos. Amém.

Sagrado Coração de Jesus, temos confiança em Vós.
Santa Úrsula, rogai por nós.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Celebração do Centenário da Congregação das Irmãs Ursulinas CJA

No dia 28 de julho de 2019, na capela da Casa-Mãe e o Santuário de Santa Úrsula Ledóchowska, em  Pniewy, realizou-se a cerimônia, que ...